You are currently browsing all posts tagged with 'Rehabilitation'.

Casa em Anselmo Braancamp

  • April 28, 2017 11:33 pm

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ; Localização | location: Porto . Projecto | project: 2015 ; Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

 

Projeto de reabilitação e ampliação de uma habitação num edifício de gaveto, situado num cruzamento da Rua de Anselmo Braancamp.

O edifício, com comércio no rés-do-chão e uma habitação no andar, foi construído em 1910, na mesma altura da abertura da rua, por ampliação de um pequeno edifício de um só piso, de utilização desconhecida.

Na última década, o edifício sofreu alguma degradação na sua cobertura, acelerada no piso superior por ter estado devoluto durante vários anos, tendo sido necessárias obras de reparação para proteger as lojas em funcionamento no rés-do-chão e de onde resultou a demolição integral do interior da habitação.

Com a encomenda do projeto, posteriormente solicitada, foram definidos o programa e a necessidade de aumento de área; daí resultou a ampliação de dois novos volumes, um no piso térreo, para garagem, outro no andar, sobre a construção já existente, para habitação. Estes dois volumes assumem uma expressão autónoma da linguagem do edifício existente, que se caracteriza pela sua maior simplicidade de formas, pela maior dimensão de um dos vãos, pela expressão do novo revestimento, pela cobertura plana e pelo desenho do guarda-corpos.

A diferença plástica entre a nova intervenção e a pré-existência, é entendida como uma condição de projeto, mas, mais do que afirmar essa diferença, pretende-se aglutinar os diferentes componentes, novos e antigos, sobrepondo planos recentes aos existentes, abrindo um vão novo numa parede existente, refazendo as proporções noutro vão, também existente.

No interior, que se encontrava completamente amplo, o programa foi organizado relacionando os compartimentos com os vãos existentes, procurando que os espaços principais tivessem bastante luz natural. Os espaços propostos distribuem-se ao longo de um corredor que atravessa toda a casa, junto à parede cega que confina com o edifício vizinho, ligando as duas entradas da habitação: uma pela rua, outra, de serviço, através do logradouro.

Interiormente, foi criado um grande elemento de composição formal, totalmente revestido com madeira de bétula, composto por estantes e armários que servem os corredores e os quartos e que remata os diferentes alinhamentos das fachadas; é um elemento estruturante de todo o espaço da habitação, que se prolonga desde a zona de chegada pelas escadas até à sala, revestindo e enquadrando as entradas para o lavabo de serviço e para a cozinha.

A reabilitação urbana tem vindo a recuperar e conseguindo devolver aos habitantes, grande parte do património que se encontrava degradado e devoluto desde os anos 80, época em que, em Portugal, se privilegiava a construção de raiz, muitas vezes e detrimento das construções existentes e da própria estrutura do tecido urbano.

Esta nova atitude, mais preocupada com os conjuntos urbanos existentes, enquanto território composto por muitos edifícios anónimos, muitas das vezes, individualmente, sem grande valor arquitetónico, mas que no conjunto mantêm o caráter das cidades, tem contribuindo para a sua dinamização e simultaneamente para a preservação da sua identidade; procurámos, com este projeto, participar nesse propósito.

 

Bar Academico F C

  • October 21, 2016 1:52 am

 

 

O Académico F. C. é um clube desportivo da cidade do Porto que, desde 1927, tem a sua sede no antigo Palacete do Lima, um edifício construído em meados do século XIX na Rua de Costa Cabral.
Este edifício de dois pisos mantém o essencial das suas características originais no piso principal, embora precise de profundos trabalhos de manutenção e restauro. No piso térreo onde, entre outros usos, existe o bar do clube há já algumas décadas, era visível o seu estado de degradação mais acentuado, provocado pelo uso intenso, pela falta de manutenção das infraestruturas e ainda pelo acelarado desgaste dos revestimentos entretanto aplicados, que tornou indispensável a remodelação do bar.
Os reduzidos meios financeiros do clube, insuficientes para um trabalho de reabilitação profundo, ditaram uma solução que pretendia ser pouco intrusiva, que não viesse a comprometer posteriores intervenções, mais estruturantes.
Como solução espacial e de organização do programa do bar, mudou-se o balcão e a área de serviços para um local mais reservado e manteve-se a sala principal que, juntamente com uma nova sala (onde se localizavam os serviços), garantiram uma privilegiada relação da área de mesas com o exterior e com a iluminação natural. Do ponto de vista construtivo, a solução limitou-se a propor a aplicação de um novo pavimento e de um sistema de painéis nas paredes que recobririam os vários e dissonantes revestimentos existentes – rebocos de várias texturas e cores, vários tipos de azulejo, lambris de madeira, capeamentos de pedra. Seriam novas camadas de revestimento, que se somariam aos existentes, adiando uma vez mais os necessários trabalhos de reabilitação em profundidade.
Com o decorrer das obras, fomos confrontados com a necessidade de remover uma parte do pavimento que estava desagregado e que não permitia, por isso, o assentamento do novo pavimento. A sua remoção deixou visivel um outro pavimento que se encontrava por baixo, um mosaico hidráulico em razoável estado de conservação, apesar de algumas lacunas pontuais e de duas áreas mais extensas, com cerca de um, dois metros quadrados, onde já não existiam mosaicos.
Procurou-se avaliar, junto de um fabricante deste tipo de mosaico, a possibilidade de produção de algumas peças para a substituição dos mosaicos degradados e para a colmatação das áreas sem mosaico. Verificou-se que a dimensão dos moldes destes mosaicos não era compatível com os existentes, sendo economicamente inviável a execução de novos moldes, para a produção da reduzida quantidade de mosaicos necessária.
A remoção do pavimento cerâmico que foi, há já alguns anos, aplicado sobre o pavimento mais antigo, revelou ainda outros dois revestimentos noutros compartimentos: um ladrilho de barro cozido com cerca de 30x30cm e 4cm de espessura, bastante irregular e desagregado, sem condições de ser mantido e um pavimento em xisto, com placas de dimensões consideráveis (algumas com 1,5m de largura), com a suas superfícies irregulares, assente diretamente sobre terra. Este pavimento será certamente o pavimento original, daquilo que poderá ter sido um espaço de serviço, de apoio a uma sala de refeições que se supõe ter existido neste piso, durante o seu uso enquanto habitação; como este pavimento também não reunia condições para ser mantido, foi removido e guardado para uma eventual posterior aplicação.
Analisadas as várias possibilidades que estas descobertas trouxeram, optou-se pela manutenção e tratamento integral do pavimento existente em mosaico hidráulico e pelo preenchimento das outras áreas, com uma argamassa cimentícia de pigmento amarelo.
As paredes foram parcialmente revestidas com painéis de fibras naturais de madeira, onde foram gravados desenhos representativos das diversas modalidades em que o Académico já foi vencedor a nível nacional. Estes painéis permitiram resolver a iluminação artificial através de uma linha de luz na sua parte superior, que ilumina uniformemente todo o espaço. Nos tectos, manteve-se o da sala principal, em estuque, que se encontrava em aceitável estado de conservação e refizeram-se os restantes, tendo-se deixado visivel numa das salas, o testemunho de um infeliz episódio do edifício – um incêncio que em 1982 deixou marcas na estrutura de madeira do tecto.
Os trabalhos de reabilitação ou remodelação em espaços e construções existentes, têm variantes que um projeto, dito “de raiz” não pode antever e que por isso não as contempla. São, por esse motivo, trabalhos que se tornam mais densos, mais substantivos, que transportam consigo uma história que se revela pelas sucessivas camadas que se vão dando a conhecer; estas camadas, no Palacete do Lima, não são só camadas de matéria, são também um testemunho das sucessivas transformações a que o edifício e o clube foram sujeitos.

Bar Académico Futebol Clube |

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ; Gestão do projecto/AFC | project management/AFC: Gaspar Freitas ; Construtor | general contractor: Construções Litosfera, Lda ; Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

Portugal Meeting Point – Concreta 2013

  • September 12, 2015 12:50 am

 

Concreta 2013 | Portugal Meeting Point ; Projeto | project: Paulo Seco ;  colaboradores | colaboration: Filipe Lourenço,  Ana Rita Neves ; Imagem |image: © Ivo Tavares ; agradecimento | acknowledgment: Ivo Tavares e Grupo Preceram

 

Em simultâneo com a Concreta – Feira Internacional da Construção para uma Regeneração Urbana Sustentável, decorreu na Exponor, em Outubro de 2013, o Portugal Meeting Point, uma iniciativa que contou com o apoio de um conjunto alargado de empresas portuguesas, que se associaram a este projeto e que funcionou como uma plataforma para a internacionalização do sector da Construção.

Esta iniciativa, contou com um espaço de 5000m2 projetado pelo atelier Impare Arquitectura, e agregou um conjunto de valências que potenciaram o encontro entre as empresas presentes na Concreta e os visitantes internacionais, convidados para esta feira.

O Portugal Meeting Point disponibilizou um grande lounge para encontros e reuniões, um auditório onde se realizaram várias conferências promovidas pelas empresas aderentes e um espaço de divulgação de publicações nas áreas de arquitectura, design e construção.

Estiveram também patentes três exposições de elevado interesse para o sector:

– a exposição do Prémio Nacional de Arquitectura em Madeira – edição 2013, organizado pela AIMMP-Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal, AO-Ordem dos Arquitetos e CPCI-Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário.

– uma exposição de trabalhos dos alunos finalistas do Mestrado em Design de Interiores da ESAD – Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos

– e a exposição do Prémio SECIL-20 anos, uma retrospetiva dos projetos de Arquitectura e Engenharia vencedores deste importante galardão nacional.

Foi ainda promovida uma iniciativa de apoio social, dirigida à Associação “Sorriso da Rita”, uma instituição que tem como objetivo colmatar as falhas de ajudas técnicas essenciais à reabilitação da criança com paralisia cerebral; a iniciativa materializou-se numa Instalação com cerca de 2000 tijolos que foram simbolicamente comprados pelos visitantes e cujo contributo reverteu para a referida associação.

 

Requalificação da Quinta de Baixo – Águas do Porto E M

  • May 5, 2015 7:52 am

 

concurso |competition | Reabilitação da Quinta de Baixo – Águas do Porto E M | Rehabilitation of Quinta de Baixo – Águas do Porto E M

Arquitectura | architect: Paulo Seco | Colaboradores | colaboration: Filipe Lourenço | Projectos de especialidades | engineering: Tiago Ilharco  [Estruturas | structural engineer]; António Lessa [projeto de  hidráulica | hydraulic project ]; Ana Catarina Antunes  [paisagismo |landscaping]; Filipe Trindade [instalações mecânicas | mechanical equipment]; Bruno Silva [Instalações Eletricas | electrical engineer];  Sónia Gomes [acústica | acoustic ] ; Imagem |image: © Impare Arquitectura ; 2014

 

 

É proposta a manutenção da volumetria da edificação existente e a autonomia formal de cada um dos corpos definidos pelos telhados de duas águas; esses corpos serão ligados por um novo volume, de acessos verticais, de desenho compacto e plasticamente independente. Para a entrada de luz natural no sótão, que acolherá áreas de trabalho, é também proposta a abertura de três novas mansardas na cobertura.

O acesso principal ao edifício é feito a partir de uma das duas entradas do logradouro (portão à cota mais elevada e porta adjacente ao edifício, à cota intermédia) das quais se acede à plataforma ajardinada e daí, através de uma galeria balançada sobre a plataforma da Cave, à entrada na fachada Sudeste; esta galeria proporcionará também sombreamento para a esplanada e para os vãos da sala multiusos e da cafetaria.

As circulações verticais dentro do edifício, serão feitas através de um núcleo central composto por uma caixa de escadas e um elevador, racionalizando os acessos e respondendo às exigências de mobilidade, possibilitando o acesso a todos os espaços, a pessoas com mobilidade reduzida.

Todos os espaços de trabalho são amplos, uniformemente iluminados com luz natural e foram gerados pela adaptação das novas funções, conciliando os valores patrimoniais com as atuais exigências de conforto.

Genericamente, a solução apresentada não altera a volumetria nem a implantação do edifício existente, pelo que se considera que as relações com o espaço envolvente se mantêm, havendo no entanto, a necessidade de qualificar os espaços existentes.

Manter-se-ão assim as relações visuais privilegiadas, sobranceiras ao rio Douro, naturalmente qualificadas com a revitalização do jardim e da mata da Quinta de Baixo.

 

 

 

 

bridge | ponte rio vouga

  • September 9, 2014 11:39 am

Ponte rio Vouga_paulo seco 2014

 

ponte rio vouga | bridge ;  proposta |  proposal  ; | projeto | project:  paulo seco ; Imagem |image: © impare arquitectura 2014 ; legenda | subtitle:  1529, 26 de Fevereiro | “vedor e recebedor da obra da pomte que ora mamdo fazer no rio Vouga e sull” | 2011, 12 Novembro | paulo seco 2014

 

A Acesso Cultura,  uma associação que promove o acesso físico, intelectual e social à cultura, realizou em Julho, no Centro Português de Fotografia, um debate com o tema Arquitectura: questões de limitação e libertação, onde foram abordadas questões relacionadas com a acessibilidade aos edifícios, procurando contribuir para o esclarecimento dos temas ligados à inclusão,

A pretexto deste debate, foi apresentado um projeto que pretendeu mostrar uma evidente barreira física na ligação entre dois pontos – a impossibilidade de travessia de um rio através de uma ponte que ruiu – e a sua solução, com uma intervenção que propõe a ligação das duas margens através de uma plataforma que une as duas partes, separadas, da ponte.

O projeto pretende levantar algumas questões, que se podem extrapolar para temas mais abrangentes, mais genéricos e por isso, mais abstratos, aludindo assim para a premência da discussão das questões relacionadas com a acessibilidade, de manifesta importância para uma melhoria das condições do acesso físico, social e intelectual.

No referido debate participaram ainda, com a moderação de Cândida Colaço Monteiro, a arquiteta Lia Ferreira, Provedora Municipal do Cidadão com Deficiência e a Dra. Maria João Vasconcelos, Diretora do Museu Nacional Soares dos Reis.

.

Acesso Cultura, an organization that promotes the physical, intellectual and social access to culture, conducted in the Centro Português de Fotografia (Photography Portuguese Center), a discussion with the subject “Architecture: issues of limitation and liberation” helping to the clarification of issues related to inclusion.

In this atmosphere, was presented a project that showed an obvious physical barrier on the link between two points – the impossibility of crossing a river through a collapsed bridge – and its solution: the connection of the two sides of river through a platform to link the two separated parts of the bridge.

The project intends to raise some questions, which can be extrapolated to broader topics, more generic and therefore more abstract, thus alluding to the urgency of the discussion of the issues of accessibility, important for improving the conditions of the physical, social and intellectual access.

This event, moderated by Candida Colaço Monteiro, was also attended by Lia Ferreira, architect/municipal provider citizens with disabilities, and Maria João Vasconcelos, director of the Museu Nacional de Soares dos Reis (National Museum)

astória restaurant | oporto intercontinental

  • August 4, 2014 6:23 pm

intercontinental IMG_15014

Restaurant Astoria | Oporto Intercontinental ;  Proposta |  proposal  ; | Projeto | project: Paulo Seco ;  colaboradores | colaboration: Filipe Lourenço,  Ana Rita Neves, Martyna Rajewska ; Imagem |image: © Impare Arquitectura  e  Guilherme Carmelo ; 2013

Colégio Mira Rio, Lisboa

  • March 18, 2013 9:00 am

 

Concurso |competition | Colégio Mira Rio, Lisboa  

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; consultor para o projeto de arquitectura | architecture’s advisor: José Gigante ; consultor para o projeto de fundações e estruturas | engineering advisor: Prof. Aníbal Costa ;  colaboradores | colaboration: Filipe Lourenço, Ana Rita Neves, João Garcia  ; Projectos de especialidades | engineering: João Miranda Guedes, Bruno Quelhas da Silva, Tiago Ilharco, Valter Lopes  [Estruturas | structural engineer]; Rossana Pereira [acondicionamento acústico | acoustic]; Cristina Marques, Sofia Pacheco  [paisagismo |landscaping] ; Concurso | competition : 2012 ; Imagem |image: © Impare Arquitectura

Concurso Público para o Projecto de Reabilitação das Estufas Tropicais do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

  • July 2, 2012 2:54 pm

 

 2º PRÉMIO

 

concurso |competition | Reabilitação das Estufas Tropicais do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra | Rehabilitation of Tropical Botanical Greenhouses of the Garden, University of Coimbra

Arquitectura | architect: Paulo Seco | Colaboradores | colaboration: Filipe Lourenço | Projectos de especialidades | engineering: João Miranda Guedes [Estruturas | structural engineer];Vasco Freitas [projeto de térmica e hidráulica |thermal project and hydraulic]; cristina marques [paisagismo |landscaping];carlos guimarães [instalações mecânicas | mechanical equipment]; Raul Serafim [Instalações Eletricas | electrical engineer]; Rui Marques [design de comunicação | communication design] Imagem |image: © Impare Arquitectura