You are currently browsing all posts tagged with 'interior design'.

apartamento em fernão de magalhães

  • January 8, 2019 7:05 pm

 

Reabilitação de um apartamento inserido num edifício da autoria dos arquitetos Arménio Losa e Cassiano Barbosa, de 1965.

O apartamento, que nunca foi usado como habitação, funcionou, desde o seu início, como escritório de uma outra dupla de arquitetos (Alcino Costa e Fonte Lopes) e mantinha quase intactas as características originais do projeto, quer em termos espaciais, onde não houve quaisquer alterações, quer nos acabamentos: pavimento em taco, portas, guarnições e rodapés, armários e revestimentos cerâmicos da cozinha e dos quartos de banho.

Espacialmente, a sua tipologia T3, separava a sala, os quartos e um quarto de banho, das áreas de serviço – cozinha com entrada autónoma, varanda, sanitário e despensa.

Para responder a hábitos contemporâneos de habitar, onde, genericamente, já não se demonstra necessária, a separação entre as áreas de serviço e a área social nos apartamentos, foi proposta a ligação entre o vestíbulo e uma pequena antecâmara da área de serviço, criando um espaço mais amplo na entrada.

Considerando também as atuais exigências de conforto e de privacidade, viu-se como qualificação evidente a ampliação da sala de uso comum, em detrimento de um dos quartos, tendo sido assim possível criar um armário e uma zona de trabalho na sala e armários roupeiros nos quartos.

A despensa, de dimensões exageradas para as atuais necessidades de arrumação e conservação de alimentos, foi também demolida, tornando possível a ampliação da cozinha.

Apesar das alterações espaciais e da renovação integral das infraestruturas elétricas, de aquecimento e de abastecimento de água, foi possível manter grande parte dos acabamentos existentes, considerados relevantes para a caraterização do desenho original do apartamento. Considerou-se essencial, a manutenção do pavimento em taco de madeira de pinho, que se encontrava globalmente em bom estado de conservação e que foi totalmente removido, tratado e posteriormente recolocado. Todas as restantes madeiras – portas, guarnições e rodapés – foram também integralmente recuperadas e mantidas:

– as portas, de desenho muito particular, com dois vidros (na suas partes inferior e superior da folha) quando localizadas nas áreas comuns ou de serviço e com um só vidro, em baixo, quando pertencentes aos compartimentos mais privados (quartos e sanitários);

– os rodapés de desenho expressivo pela sua dimensão, com 6cm de altura e 4 de largura.

Na cozinha, procurou-se manter a expressão dos revestimentos, que são muito semelhantes, na tonalidade e nas dimensões, aos existentes – azulejo de produção semi-industrial, de tonalidade verde água, com 11x11cm, nas paredes e ladrilho cerâmico, de cor cinza escuro, também de produção semi-industrial, com 20x20cm, no pavimento. O armário superior, sobre a única bancada existente foi integralmente replicado, adaptando as suas dimensões – mantendo as proporções, o número de elementos, cor e puxadores – às atuais relações ergonómicas.

Nos sanitários, as opções tomadas foram mais radicais, pela necessidade de substituição de todos os elementos e revestimentos, tendo sido criados espaços com expressão e organização diferentes dos existentes:

– o quarto de banho junto aos quartos foi integralmente revestido com mármore preto, foi instalada uma base de chuveiro em substituição da banheira existente e foi desenhado um armário para o lavatório, com arrumação interior;

– o quarto de banho, agora da zona social, que originalmente funcionava como sanitário de serviço, comum na época de construção do apartamento, foi também revestido com mármore preto nas paredes, tendo sido criada uma base de chuveiro, originalmente inexistente (o escoamento da água do banho era feita através de uma ralo no pavimento).

Na cozinha, foi proposta uma nova bancada – para onde se transferiu o lava-louças e se integrou a máquina de lavar – com armários superiores e laterais. A porta de acesso à varanda, abre para o exterior, permitindo o prolongamento do espaço da cozinha.

As opções de acabamento das madeiras – pintura das existentes e envernizamento das novas superfícies – tornaram possível uma separação clara dos novos elementos desenhados nesta intervenção: uma mesa fixa para criação de uma zona de trabalho, em frente a uma das janelas da sala e uma porta de correr de duas folhas em vidro translúcido de tonalidade cinza, com aro de madeira de nogueira, que permite diferentes leituras desde a entrada.

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ; Cliente | Client: Margarida Santos e Ricardo Arez;  Localização | location: Porto . Projecto | project: 2018 ; Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

 

 

casa rua de diu

  • September 12, 2018 12:00 am

Arquitetura | architect: Paulo Seco ; Colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ;   Localização | location: S. M. Infesta – Matosinhos. Projeto | project: 2017 ;  Construção | construction: 2018 | Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

Reabilitação de um edifício de habitação unifamiliar localizado no cruzamento de duas ruas de um bairro habitacional construído nos finais da década de 50 do século passado, à época, na periferia das cidades do Porto e de Matosinhos, hoje integrado na área metropolitana.

O projeto consistiu na renovação de todas as infraestruturas e revestimentos que, maioritariamente, se encontravam em mau estado de conservação e na reorganização dos compartimentos do piso térreo, com a ampliação da cozinha e da sala.

apartamento rua de tanger

  • May 20, 2018 11:21 pm

Arquitetura | architect: Paulo Seco ; Colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ;   Localização | location: Porto . Projeto | project: 2017 ;  Construção | construction: 2018 | Construtor | general contractor: Construções Litosfera, Lda  |  Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

Projeto de remodelação integral de um apartamento duplex com cerca de 170m2, localizado no ultimo piso de um edifício construído nos finais dos anos sessenta.

Intervenção que se carateriza pelo aumento da sala de estar, através da incorporação das áreas do vestíbulo e de um quarto contíguo e pela criação de um grande armário que integrou o recuperador de calor já existente.

Renovação total dos revestimentos e de todas as infraestruturas de abastecimento de águas, de eletricidade e de aquecimento.

apartamento em antero de quental

  • February 4, 2018 11:09 pm

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ; Cliente | Client: Margarida Santos e Ricardo Arez;  Localização | location: Porto . Projecto | project: 2017 ; Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

Projeto de remodelação integral e de transformação de um apartamento de tipologia T3, com 93m2, inserido num edifício construído nos finais da década de 50, num apartamento de dois quartos.

Intervenção com alterações significativas dos espaços existentes e de todos os revestimentos, com renovação integral de todas as infraestruturas de abastecimento de águas, de eletricidade e de drenagem de esgotos.

Criação de uma sala ampla com apoio de cozinha “aberta”, conseguida pela junção de um quarto, sala e cozinha existentes, de reduzidas dimensões.

 

Casa em Anselmo Braancamp

  • April 28, 2017 11:33 pm

Arquitectura | architect: Paulo Seco ; colaboração | colaboration: Filipe Lourenço ; Localização | location: Porto . Projecto | project: 2015 ; Imagem | image: © ITS Ivo Tavares Studio

 

Projeto de reabilitação e ampliação de uma habitação num edifício de gaveto, situado num cruzamento da Rua de Anselmo Braancamp.

O edifício, com comércio no rés-do-chão e uma habitação no andar, foi construído em 1910, na mesma altura da abertura da rua, por ampliação de um pequeno edifício de um só piso, de utilização desconhecida.

Na última década, o edifício sofreu alguma degradação na sua cobertura, acelerada no piso superior por ter estado devoluto durante vários anos, tendo sido necessárias obras de reparação para proteger as lojas em funcionamento no rés-do-chão e de onde resultou a demolição integral do interior da habitação.

Com a encomenda do projeto, posteriormente solicitada, foram definidos o programa e a necessidade de aumento de área; daí resultou a ampliação de dois novos volumes, um no piso térreo, para garagem, outro no andar, sobre a construção já existente, para habitação. Estes dois volumes assumem uma expressão autónoma da linguagem do edifício existente, que se caracteriza pela sua maior simplicidade de formas, pela maior dimensão de um dos vãos, pela expressão do novo revestimento, pela cobertura plana e pelo desenho do guarda-corpos.

A diferença plástica entre a nova intervenção e a pré-existência, é entendida como uma condição de projeto, mas, mais do que afirmar essa diferença, pretende-se aglutinar os diferentes componentes, novos e antigos, sobrepondo planos recentes aos existentes, abrindo um vão novo numa parede existente, refazendo as proporções noutro vão, também existente.

No interior, que se encontrava completamente amplo, o programa foi organizado relacionando os compartimentos com os vãos existentes, procurando que os espaços principais tivessem bastante luz natural. Os espaços propostos distribuem-se ao longo de um corredor que atravessa toda a casa, junto à parede cega que confina com o edifício vizinho, ligando as duas entradas da habitação: uma pela rua, outra, de serviço, através do logradouro.

Interiormente, foi criado um grande elemento de composição formal, totalmente revestido com madeira de bétula, composto por estantes e armários que servem os corredores e os quartos e que remata os diferentes alinhamentos das fachadas; é um elemento estruturante de todo o espaço da habitação, que se prolonga desde a zona de chegada pelas escadas até à sala, revestindo e enquadrando as entradas para o lavabo de serviço e para a cozinha.

A reabilitação urbana tem vindo a recuperar e conseguindo devolver aos habitantes, grande parte do património que se encontrava degradado e devoluto desde os anos 80, época em que, em Portugal, se privilegiava a construção de raiz, muitas vezes e detrimento das construções existentes e da própria estrutura do tecido urbano.

Esta nova atitude, mais preocupada com os conjuntos urbanos existentes, enquanto território composto por muitos edifícios anónimos, muitas das vezes, individualmente, sem grande valor arquitetónico, mas que no conjunto mantêm o caráter das cidades, tem contribuindo para a sua dinamização e simultaneamente para a preservação da sua identidade; procurámos, com este projeto, participar nesse propósito.

 

Salão de Cabeleireiro

  • November 14, 2016 1:58 pm

Salão de cabeleireiro | Hair salon ; Arquitectura | architect: Paulo Seco ; Cliente | Client: Letícia Valente. Localização | location: Válega. Ovar . Projecto | project: 2016 . Construção | construction: 2016 Imagem | image: © Guilherme Carmelo

Projeto de transformação de um espaço comercial em salão de cabeleireiro.
A pequena dimensão do negócio exigiu uma solução com um orçamento extremamente reduzido para as obras e os equipamentos necessários.
Num espaço com cerca de 100m2 foi organizado um programa simples, com áreas de receção, espera e áreas de trabalho, num espaço único e amplo.
Para se conseguir um maior controlo acústico do salão – da reverberação dos ruidos provocados no interior – foi criado um painel de revestimento em todas as paredes do salão, com placas fibrobetuminosas, que são normalmente utilizadas nas subcoberturas dos edifícios; a sua forma ondulada e a sua textura proporcionaram uma solução tecnologicamente simples e com custos reduzidos que resultou num ambiente diferenciado.